SONORA (MS),

Prefeitura de Sonora lança projeto Família Acolhedora com apoio técnico e financeiro


As famílias acolhedoras receberão ajuda de custo da Prefeitura e todo suporte técnico e profissional que for preciso.

A Prefeitura Municipal de Sonora lançou na noite dessa quinta-feira(28), o projeto Família Acolhedora, na presença dos Juízes das comarcas de Sonora e Camapuã, cidade referência do estado MS neste projeto. O juiz de Camapuã, Deni Luis Dalla Riva destacou os avanços do projeto na vida das crianças e dos adolescentes pelo Brasil.



O Programa Família Acolhedora prevê que uma família acolha a criança ou o adolescente afastado da convivência com seus pais ou responsáveis, em sua residência, mediante o recebimento de uma ajuda de custo, até que esta criança ou adolescente seja reinserida em sua família ou devidamente adotada.

A família acolhedora recebe uma bolsa auxílio por criança ou adolescente, sendo até dois acolhidos. O serviço atende a faixa etária de crianças e adolescentes de 0 a 18 anos incompletos.

“O Programa de Acolhimento Familiar tem alcançado expressivo resultado em benefício da criança e do adolescente, pois evita que eles sejam encaminhados para abrigos ou entidade similares, que possuem uma dinâmica de trabalho muito distante do ambiente familiar”, destacou Riva.

O Juiz de Direito da Comarca de Sonora, Daniel Raymundo da Matta, fez questão de parabenizar os profissionais que fizeram parte deste avanço significativo em Camapuã e que almeja que em Sonora tenha o mesmo sucesso.

O presidente da casa de Leis, Raphael de Lemos (MDB), lembrou dos grandes projetos que foram aprovados por ele e seus colegas vereadores que podem ir de encontro com o Família Acolhedora, como o Proerd, Bom de Bola Bom na Escola, Cotenec e Projeto Esperança.

“Muitas vezes as pessoas não sabem qual o nosso papel perante os acontecimentos, mas estamos ativos, ajudando a promover ações como esta de iniciativa do Executivo Municipal e que trará inúmeros benefícios a sociedade”, disse Raphael.

O juiz Riva enfatizou os direitos e deveres das equipes e das famílias acolhedoras e frisa os direitos constituídos em Lei. Ele também respondeu duvidas da platéia, duvidas de profissionais que já trabalham com crianças no abrigo Casa Lar e que agora vão se adequar a um novo projeto, que segundo ele é inovador e revolucionário, além de cumprir a Lei em sua tese.

“O “Direito à Convivência Familiar” está assegurado na Constituição Federal de 1998 e no art. 32 do Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei nº 8.069/90), como um dos direitos fundamentais a serem assegurados a todas as crianças e adolescentes com a mais absoluta prioridade, tendo a família acolhedora preferência sobre as instituições ou entidades de acolhimento”, destaca o Juiz.

O prefeito Enelto Ramos (MDB) agradeceu a todos da cidade de Camapuã que receberam ele e sua equipe, onde conheceram o projeto. “Estou feliz em poder fazer parte da implantação deste projeto lindo e que podem mudar as vidas destas crianças e adolescentes, projeto este que dá uma chance delas conviver em família. Nossa equipe veio deste encontro mais motivados para dar inicio ao Família Acolhedora em Sonora”, concluiu Enelto.

Assim que estiver tudo organizado será aberto cadastro para receber as famílias interessadas. As famílias após se inscreverem no serviço serão cadastradas e selecionadas, gradativamente, de acordo com a necessidade, parecer psicossocial favorável, bem como disponibilidade de recursos financeiros dos fundos.

Participaram do evento como palestrantes e incentivadoras a Assistente Social da Alta Complexidade de Camapuã, Jucione Ferreira Pereira a Coordenadora do Centro de Referência e Assistência Social (Cras), Osmarina Escobar Borges.

Elas explanaram bem como e o que é o Família Acolhedora e seus percalços, mas que com bom planejamento, amor e conversa entre todos os poderes, pode-se chegar ao objetivo que é a acolhida e a inserção da criança e adolescente no seio da família.

Compareceram também a primeira dama de Camapuã, Elaine Aparecida Huber, a de Sonora Adenir Franco e os vereadores Neco do Bar (MDB), Eliel Rufino (PEN), Daniela Viana (PSDB) e Fabio Sinuca (PR).

Os interessados em serem multiplicadores, devem procurar o Centro de Referência e Assistência Social, na Avenida Marcelo Miranda Soares, no Conselho Tutelar, profissionais da saúde ou pelos telefones 67.99918.4246 ou 3254.1661.