ANÚNCIOS

DATA

SONORA (MS),

Bolsonaro é homenageado em festa de cantores sertanejos em Brasília


Presidente eleito ficou na mesma mesa de Amado Batista, Bruno e Marrone e Cuiabano Lima. Segundo organizadores, artistas apoiaram Bolsonaro na eleição.


Bolsonaro ao lado de cantores em almoço no Clube do Exército, em Brasília, nesta terça-feira (10) — Foto: Guilherme Mazui/G1
O presidente eleito chegou ao salão de festas e posou para fotos com os artistas e familiares. Em seguida, sentou-se na mesma mesa de Amado Batista, das duplas Leo Canhoto e Robertinho e Bruno e Marrone e do locutor de rodeios Cuiabano Lima.

As duplas Gian e Giovani e George Henrique e Rodrigo também participaram do encontro com Bolsonaro.

Uma das músicas executadas durante a confraternização foi o tango "Por una cabeza", canção imortalizada na voz de Carlos Gardel.

O presidente eleito Jair Bolsonaro durante almoço com cantores sertanejos em Brasília — Foto: Guilherme Mazui / G1 O presidente eleito Jair Bolsonaro durante almoço com cantores sertanejos em Brasília — Foto: Guilherme Mazui / G1
O presidente eleito Jair Bolsonaro durante almoço com cantores sertanejos em Brasília — Foto: Guilherme Mazui / G1


Conforme Simone Batista, que também organizou a festa, Bolsonaro seria recebido pelos artistas durante a campanha, mas o encontro foi adiado devido à facada sofrida por ele em um atentado em Juiz de Fora.

“É um almoço para homenagear e agradecer o presidente Bolsonaro”, declarou Simone Batista. Durante o almoço, Bolsonaro comeu carne vermelha, arroz branco, tomate, salada de batata.

O locutor Cuiabano Lima homenageou Bolsonaro com um longo discurso, no qual citou trechos do hino nacional. Ao final, ele ainda fez um verso para o presidente eleito.

"Para Deus eu levanto as mãos para o céu, mas para você eu vou te dar o meu chapéu”, disse Lima, que depois entregou o chapéu para Bolsonaro.

O presidente eleito agradeceu as homenagens dos cantores. Disse que na década de 60, durante a juventude no interior paulista, pescava enquanto ouvia no rádio de pilha o programa de Tonico e Tinoco.

Bolsonaro lembrou que há quatro anos decidiu concorrer à Presidência da República, mas que não tinha apoio suficiente. E citou o cantor Amado Batista, conhecido pelos sucessos brega.

"Conheci [o Amado] vendo um programa de televisão e ele também falando discretamente o meu nome. Foi uma paixão à primeira vista. Ele cerrou comigo naquele momento quando ninguém acreditava", afirmou.


Meio ambiente
Bolsonaro comentou a escolha do futuro ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, em um vídeo publicado pelo locutor Cuiabano Lima no Instagram.

Antes, prometeu retornar à Festa do Peão em Barretos no próximo ano. "Barretos, meu muito obrigado. Ano que vem estamos de volta aí. Vocês gostaram do ministro do Meio Ambiente agora, não é? Com toda certeza". Lima respondeu: "Gostamos de tudo. Obrigado, Jair".

A escolha do titular do Meio Ambiente passou por consultas à bancada ruralista. Bolsonaro cogitou unir a pasta com o Ministério da Agricultura, mas desistiu. Ele tem afirmado que pretende terminar com a indústria das multas na área do meio ambiente. Salles foi secretário estadual do Meio Ambiente durante o governo Geraldo Alckmin em São Paulo.

 G1