ANÚNCIOS

DATA

SONORA (MS),

Pesquisa DATAmax mostra Odilon e Azambuja tecnicamente empatados



No limite da margem de erro, levantamento mostra pedetista com até 50,2%, e o atual governador, que concorre à reeleição, com 49,8%

No limite da margem de erro, levantamento mostra pedetista com até 50,2%, e o atual governador, que concorre à reeleição, com 49,8% Pesquisa de intenção de votos mostra que o candidato ao governo do Estado pelo PDT, juiz Odilon de Oliveira, e o governador, Reinaldo Azambuja (PSDB), estão tecnicamente empatados, no limite da margem de […]

Pesquisa de intenção de votos mostra que o candidato ao governo do Estado pelo PDT, juiz Odilon de Oliveira, e o governador, Reinaldo Azambuja (PSDB), estão tecnicamente empatados, no limite da margem de erro. O levantamento foi divulgado nesta quarta-feira, 17, pelo DATAmax. Azambuja aparece com 52,8% e Odilon aparece com 47,2% dos votos válidos. Se considerada a margem de erro, de 3% para mais ou para menos, Odilon chega a 50,2%, e o atual governador, que concorre à reeleição, chegaria a 49,8%.

A pesquisa foi realizada entre os 14 e 16 de outubro, com 1.036 entrevistas realizadas e o levantamento atinge índice de confiança de 95%, ou seja, as chances de a pesquisa representar o real cenário eleitoral é de 95%. A abrangência é para todo o Mato Grosso do Sul.

O site Midiamax, responsável pela divulgação da pesquisa, detalha que os dados foram obtidos por meio da aplicação de questionário estruturado em entrevistas pessoais, junto a uma amostra representativa do conjunto do eleitorado do Estado, estratificado em cotas de sexo, idade e escolaridade, determinadas pelos dados do Censo 2010, PNAD 2015, TSE 2018 e ABEP 2015/2016.

A reportagem lembra ainda que, para calcular as intenções de votos válidos, são desconsiderados da amostra os votos em branco, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para calcular o resultado oficial da eleição. Os números de registro no TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) e TSE (Tribunal Superior Eleitoral) são MS-03656/2018 e BR-01950/2018.

O juiz Odilon ressalta que, desde o primeiro turno, tem dito que pesquisa é reflexo do momento. Pesquisa não ganha eleição, o que vale é o voto na urna. “As pesquisas não indicavam nem segundo turno em MS e continuamos na disputa, com apenas seis meses na política. Sinal que a população quer romper com os escândalos de corrupção e mudar de verdade os rumos do nosso Estado. Acredito que estamos bem à frente do nosso adversário e vamos vencer as eleições no dia 28. Nas ruas as pessoas querem isso”, acrescentou.


DA ASSESSORIA